Saúde de Casimiro recupera veículos para transporte de pacientes e resgate

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email
Share on linkedin
Share on print

Em janeiro deste ano, era caótica a situação dos veículos a serviço da Secretaria de Saúde de Casimiro de Abreu. Ambulâncias paradas, por falta de peças, e carros batidos sem manutenção, um deles incendiado, ocupavam um pátio às margens da RJ 142 (Casimiro – Nova Friburgo), apodrecendo com a ação do tempo.

Em três meses a situação mudou. Devido ao esforço da Coordenação Municipal de Transporte, o que ia virar sucata, agora está pronto para servir novamente a centenas de pessoas, seja para tratamento em outras cidades, seja em serviços de resgate.

Uma das ambulâncias, completamente reformada, volta para o Hospital Ângela Maria Simões Meneses, ainda este mês.

“O valor estipulado para reformar cinco ambulâncias (duas delas pertencentes ao Hospital Municipal e outras três, do setor de transporte) está em torno de R$ 80 mil. Mas não é melhor comprar uma ambulância nova? Claro que não! Uma ambulância nova custa mais de R$ 200 mil”, argumentou Toniel Monteiro, coordenador municipal de Transporte.

O custo da manutenção de duas delas é da IMG, Organização Social sem fins lucrativos que administra o Hospital Municipal. As outras três são custeadas pela Secretaria de Saúde.

Além das ambulâncias, outros oitos veículos, que eram usados no transporte de pacientes para tratamento em outros municípios, estão sendo consertados em oficinas da cidade. Um deles chama atenção. Um Fiat Doblo, 2019, foi vandalizado em julho de 2020.

Criminosos atearam fogo no veículo, que estava na garagem da Secretaria de Saúde. Outros três tiveram o mesmo destino, mas dois deles estão  totalmente recuperados, igualmente ao Doblo e em breve voltarão para o serviço de transporte de pacientes.

Atualmente Casimiro de Abreu possui oito ambulâncias, que trabalham 24 horas por dia: duas em Barra de São João (Resgate e Atendimento à Covid); uma em Professor Souza (cedida pelo setor de Transporte); uma em Rio Dourado; três no Hospital Municipal Ângela Menezes e mais uma no setor de transportes.

Pelo trabalho da Secretaria de Saúde, a previsão é que em julho nenhum veículo, seja ambulância, seja veículo para transporte de paciente, esteja sem funcionamento.

 

 

Pesquisar

Categorias

Notícias por Mês

Escolha o mês

Publicidade

No data was found