Prefeitura atua no controle biológico do mosquito borrachudo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email
Share on linkedin
Share on print

Eles são bem pequenos, mas capazes de tirar qualquer um do sério. E é durante o verão e a primavera que temos a maior ocorrência dos mosquitos borrachudos. Isso porque eles se reproduzem muito mais em climas quentes. Para minimizar os ataques e o incômodo que este inseto pode causar, a Secretaria Municipal de Agricultura e Pesca e a Fundação Municipal estão atuando no seu controle biológico.

Os técnicos da Prefeitura estão percorrendo a região serrana do município, como Figueira Branca, Tenar e Córrego da Luz, para aplicar uma larvicida biológico em rios e córregos que cortam a região. “O produto aplicado nos afluentes do rio Macaé é eficiente para o controle do mosquito borrachudo, pois elimina suas larvas sem provocar impactos na fauna e flora locais”, ressaltou o biólogo Maurício Porto.


A cada 15 dias, a aplicação é refeita para que haja eficiência. No entanto, alguns cuidados também evitam a proliferação do inseto. Verifique a situação do esgotamento sanitário de sua residência e não jogue lixo ou restos de comida nos rios e encostas, pois os borrachudos se proliferam com mais rapidez nas águas com material orgânico. A preservação das matas ciliares e da floresta é muito importante, pois atraem os pássaros e insetos que se alimentam dos borrachudos ajudando assim, a manter o controle de sua população.

Sobre o borrachudo – O mosquito borrachudo é um inseto da família dos simulídeos, mas que não tem nada a ver com o pernilongo. Os borrachudos gostam de voar durante o dia, com sol quente e ainda bem pequenos. A fêmea é quem dá a picada e se alimenta do sangue de mamíferos. A região da pele atingida incha porque quando o inseto pica injeta uma substância que provoca uma reação alérgica na pele.

A fêmea adulta deposita os ovos em folhas e galhos submersos em água corrente dos riachos. Os ovos viram larvas e pupas, e depois de aproximadamente 25 dias o borrachudo adulto sai de dentro da água. Quando a fêmea é fertilizada, procura um mamífero para picar, porque o desenvolvimento dos ovos que ela carrega depende da proteína do sangue, que pode ser o de um ser humano.

Ao contrário do mosquito da dengue, por exemplo, o borrachudo não gosta de água parada, e quanto mais sujeira houver, melhor para ele. As larvas se alimentam de matéria orgânica. Por isso, lixo e dejetos de animais aumentam a proliferação do borrachudo.

Pesquisar

Categorias

Notícias por Mês

Escolha o mês

Publicidade

No data was found