Enfermeiros do Hospital Municipal recebem treinamento para notificações de doenças compulsórias

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email
Share on linkedin
Share on print

Notificar vai além de preencher um papel. Entender sua importância constitui em uma peça-chave no controle, redução, prevenção e até erradicação de doenças e agravos.  Este foi o tom da palestra ministrada para enfermeiros do Hospital Ângela Maria Simões Menezes, na tarde da quinta-feira, dia 19.  

Em pouco mais de uma hora, as enfermeiras Luana Silva (Controle de Infecções Hospitalares e Núcleo Interno de Vigilância em Saúde) e Tamiris Rosa (Vigilância em Saúde) alertaram os profissionais sobre a importância de fornecer aos órgãos competentes informações de doenças infectocontagiosas que são transmissíveis, apresentam letalidade ou outro tipo de impacto na saúde.  

A falta de notificação de casos suspeitos pode acarretar perda de dados ou comprometer a oportunidade intervenção eficaz na disseminação de uma doença, por exemplo, como a meningite.

 Caso não sejam notificados os casos suspeitos, pode-se perder ou comprometer a oportunidade de intervir de forma oportuna, eficaz e eficiente na disseminação da doença. 

 

“As notificações de doenças e agravos compulsória são de extrema importância. O preenchimento correto das notificações é necessário para que o município, através do Departamento de Vigilância Epidemiológica, possa estar investigando e montando planos de ações, prevenção, bloqueio e/ou contingência para o controle e redução dos danos causados por qualquer doença/agravo.  

É de suma importância que os enfermeiros e qualquer trabalhador da saúde, que atuam na linha de frente, tenham ciência que eles desempenham um papel fundamental no preenchimento dessas notificações, para que possamos ter o controle da disseminação dessas doenças/agravos”, finalizou Tamiris. 

 

 

Pesquisar

Categorias

Notícias por Mês

Escolha o mês

Publicidade

No data was found