Casimiro realiza 1º Seminário do Plano Municipal do Livro

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on email
Share on linkedin
Share on print

Município de Casimiro de Abreu faz história com o 1º Seminário do Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas Públicas e Comunitárias de Casimiro de Abreu.

O Seminário foi realizado na tarde da última segunda-feira, dia 18, no Cineteatro Meus Oito Anos, em Casimiro de Abreu, com a presença das palestrantes Renata Costa, Maria Chocolate e Natália Reis com a mediação de Adriana Izidoro. O evento contou também com a participação do autor Manuel Filho, que lançou o livro “Prisioneiros na Biblioteca” e respondeu as perguntas do público sobre seu processo criativo no ato de escrever entre outras perguntas.

O prefeito Ramon Gidalte, que participou do evento, falou da importância do Plano:

“A Cultura tem todo o apoio do Poder Público para a execução de leis que incentivem a leitura e a Literatura em todo o município.” disse Ramon.

O evento contou com um Sarau Cultural, declamações de poesias e intervenções teatrais.

Adriana Izidoro, gestora da Casa de Leitura Casimiro de Abreu- Projeto Leitura Viva, proponente do Seminário, explicou a diferença da execução do Plano no município de Casimiro para outros propostos em outras cidades:

 

“O que difere a elaboração do nosso plano é o fato de termos aprovação e total apoio do poder público, o que facilita o processo. Isso é um ganho incrível, porque essa seria a etapa mais difícil! Agora a gente só precisa estruturar esse Plano com a sociedade civil.” disse Adriana.

Qual a importância do Plano para o município?
A elaboração do Plano é importante para colocar o município que recebeu o nome do poeta Casimiro de Abreu, na cena literária, fazendo com que a cidade respire poesia e literatura, fortalecendo a importância do livro e da leitura nesse atual momento.

Quais os objetivos do Seminário?
O Seminário vem para explicar de forma ampla e didática como se dá a elaboração de um Plano, sensibilizando as pessoas para a causa, resultando no GT, Grupo de Trabalho. Esse grupo, eleito de forma democrática tem a missão de articular e mobilizar os personagens da cadeia produtiva e criativa do livro, bem como outros interessados para a participação na elaboração do plano. Vale ressaltar que não é o GT que escreve o Plano sozinho, mas constrói o processo, visto que, o Plano é elaborado a partir da escuta da sociedade civil. Daí seu aspecto democrático: ouvir a população, suas demandas e necessidades para criar estratégias onde as especificidades e particularidades sejam atendidas da melhor forma possível.

Por que o município faz história com Plano?
Em todo o Estado do Rio de Janeiro, o único Plano construído nesse formato com participação ativa da população e seguindo as diretrizes do Plano Nacional de Livro e Leitura, foi no município de Nova Iguaçu. Esse será o 1º Plano das Baixadas Litorâneas que vai construir políticas públicas voltadas para o Livro e Leitura com participação da sociedade civil e com total apoio do governo municipal.

Pesquisar

Categorias

Notícias por Mês

Escolha o mês

Publicidade

No data was found