Mudanças implantadas na escola do Palmital melhoram a rotina dos alunos

Como já dizia a frase: “A Vida tem a cor que você pinta!”. E foi pensando nos inúmeros benefícios das cores que a equipe da Escola Municipal Pedro Lopes, no Palmital, transformou  todo o ambiente do colégio. Pintou formas, números e letras de todas as cores no chão e paredes, tornando a rotina dos alunos muito mais divertida. Além disso, preparou um cantinho bem aconchegante, o Espaço da Leitura, aberto todos os dias para a comunidade, onde pais, alunos e moradores podem se sentar e desfrutar de boas histórias.

De acordo com a diretora da unidade, Elizangela Meireles, todo o espaço da escola foi modificado pensando no colorido da educação infantil, e também em algo atrativo e pedagógico. “Atendendo a proposta da educação infantil do município de trabalhar com o lúdico, brincando que eles aprendem, foi onde tentamos dar a cara de educação infantil e explorar essa questão da ludicidade e brincadeiras por meio das pinturas. E os professores, como mais um recurso para trabalharem com os alunos”, falou.

A professora orientadora (PO), Raquel Mussi, explicou que o uso das cores tem uma ligação direta no desenvolvimento da criança. “Com isso, exploramos cores, numerais, letras e formas que trabalham a capacidade motora, cognitiva e sensorial, raciocínio, noção de lateralidade, entre outros estímulos”, ressaltou.

Outra transformação que deu super certo foi a criação do Espaço da Leitura. Um cantinho especial que conta com o baú das artes, com fantoches, fantasias e muitos livros. Além da leitura realizada nas salas de aula, às quartas-feiras todas as turmas tem um momento de contação de história no Espaço da Leitura.

O espaço é bem aconchegante e fica logo na entrada da escola para que todos tenham acesso aos livros. Foi pensando em trazer as famílias para a escola e estimular o hábito da leitura, que o espaço abre de segunda a sexta-feira para a comunidade. Eles podem ler por ali mesmo ou levar os livros para casa e devolver depois. “Este projeto está sendo tão interessante que já estamos no segundo caderno de registros. A comunidade tem respondido muito bem e eles ajudam a cuidar do espaço”, falou Elizangela.

Rafaela Rangel, mãe da pequena Elloah, tem usado bastante o espaço. Quando vai pegar sua filha na escola, ela sempre aproveita e leva alguns livros para casa. “Eu tiro um tempinho e sento para ler com ela. O hábito da leitura aguça a criatividade da criança. Para nós como mãe é importante, pois possibilita esta relação de mãe e filha. E uma oportunidade para a comunidade, já que os livros podem ser emprestados de graça”, falou.