Prefeitura discute estratégias para acolher população em situação de rua

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Assistência Social, reuniu entidades como igrejas e associações, além de representantes de diferentes áreas do governo com o objetivo de discutir estratégias e medidas com a proposta de traçar ações para a população em situação de rua. A Sede do município vem recebendo um número crescente de pessoas nessa situação oriundas de outras cidades que, de acordo com a Constituição Federal e a Declaração Universal dos Direitos Humanos, também têm o direito de ir e vir. A reunião aconteceu na última sexta-feira, dia 3.

“Uma das nossas atuações na Assistência Social é, por meio do Centro de Referência Especializado de Serviço Social (Creas), acolher os moradores em situação de rua e oferecer a assistência necessária com os serviços da rede pública, seja na área da saúde ou em outro setor. Para tratar a situação da população de rua é importante que toda a sociedade civil organizada, igrejas e outras instituições se unam, participem e estejam engajadas com o poder público municipal num trabalho em conjunto. Precisamos ampliar os serviços, oferecer atividades aos moradores de rua para que sejam emancipados”, explicou a secretária de Assistência Social, Leila Márcia Barbosa de Souza.

A proposta da Prefeitura é a criação um núcleo de apoio com profissionais de diferentes áreas e a participação de membros da sociedade civil para ajudar pessoas em situação de rua até que elas despertem o desejo de serem emancipadas.

As igrejas terão um papel importante nesse trabalho e, durante o encontro, se colocaram à disposição para apoiar a causa com projetos de inclusão social. Dentro de suas possibilidades, poderão oferecer atividades para preencher o tempo ocioso das pessoas em situação de rua, resgatando a cidadania e a autoestima, além de promover habilidades e o gosto pelas atividades desenvolvidas.

 

Atuação do CREAS –  O Centro de Referência Especializado de Assistência Social está aberto para acolher moradores em situação de risco pessoal ou social com violação de seus direitos, como moradores que estão em situação de rua. A equipe é composta de assistente social, psicólogo e profissionais de outras áreas com a missão de apoiar e acolher pessoas vítimas de violência, maus tratos, abuso e exploração sexual,  negligência, trabalho infantil, pessoas afastadas do convívio familiar. E ainda adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, pessoas que sofrem abandono ou discriminação, idosos e crianças que necessitam de abrigo ou casa de acolhimento temporário, entre outras questões.

A atuação da equipe do CREAS consiste em buscar, acolher e oferecer todos os serviços da rede pública, importantes para atender as necessidades de cada uma delas.  O serviço especializado da Secretaria Assistência Social de Casimiro de Abreu funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na sede no município, na Rua Armindo Júlio Mozer s/nº, bairro Mataruna, em Casimiro de Abreu.